sexta-feira, 16 de maio de 2014

Swatches Cliché I ♥ Cakes - Parte II

Olá.
Tudo?
Tudo!
Agora que já digeriram aquela meia dúzia de bolinhos, já fizeram 1.800 kms de esteira, prontas para mais açúcarzinho no sangue? Então preparem-se, porque esta segunda leva de bolos é de arrancar as cuecas pela cabeça.
Free Image Hosting at www.ImageShack.us
O Queque, modesto bolo que se impinge às crianças que anseiam pelo outro ao lado, cheio de cremes, corantes e açúcar, na versão da Cliché é vingado do facto de ser sempre o prémio de consolação. O "ou o Queque ou nada, António Miguel!", o Gelado Epá dos bolos, que sempre tem leite, o eterno "pronto, está bem" da petizada.
Na sua versão gósmica ele é uma coisa linda e do mais apetitoso que há.
Um lilás azul, com um cheirinho de cinzento, quase umn periwinkle, mas mais clarinho... enfim, uma coisinha simplesmente perfeita na sua singelez. Duas camadas apenas, facílimas de aplicar. Assim sendo, "era um Queque, chachavôr.
Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Queque - Cliché (I ♥ Cakes)

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us



Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
E agora aquele bolo Fernando Pessoa, com os seus vários heterónimos.
Do Palmier simples não tenho nada a dizer. Nítidamente um bolo de velhas, que está para a pastelaria como o perolado está para as unhas.
Na sua versão Álvaro de Campos, vulgo "palmier recheado", ganha mais interesse, mas só se o recheio for de doce de ovos for real, e não daquele silicone amarelo que se tornou moda usar nos dias que correm. Isso é uma pobreza e mais vale comer massa de vidraceiro.
Na sua versão Ricardo Reis, vulgo "palmier coberto" ele atinge todo o seu esplendor. Mas um bom Ricardo Reis é coberto de creme de doce de ovos e polvilhado com açúcar! Não falo naquele Alberto Caeiro que é uma placa dura, de grosso açúcar branco, que estala todo quando se come, como se de um lago gelado do Missouri se tratasse. Essa poesia eu aprecio menos, uma vez que rapidamente se torna enjoativa.
O que é bom e não enjoa é este verde entristecido com cinza, que fica do mais amoroso que há, com apenas duas camadas.
Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Palmier - Cliché (I ♥ Cakes)

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
A coroa de glória da pastelaria corriqueira é, sem dúvida, o Pastel de Nata.
Uma nota para os brasileiros que chamam isto de Pastel de Belém: APENAS PAREM.
Pela milésima nonagésima vez vos digo, Pastel de Belém só, apenas, unicamente, em exclusivo, na Fábrica Nacional de Pastéis de Belém que fica.... tanãnnnn... em BELÉM!
Isso que vocês comem aí são "apenas" Pastéis de Nata. Os mesmo que nós comemos em qualquer pastelaria que se encontre aberta ao público por todo o Portugal continental e Ilhas.
Agora que desabafei, vamos à gosma. Linda! Maravilhosa!! Um amarelo super vibrante, uma nata cheia de gemas, uma coisa deliciosa. Como bom amarelo que é, foi o primeiro desta colecção a precisar de três camadas. Mas são três camadas bem fáceis de aplicar e compensam o esforço para quem, como eu, é amiga da cor.
Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Pastel de Nata - Cliché (I ♥ Cakes)

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Bola de Berlim. Um dos bolos mais aberrantes da lista. Literalmente uma bola de farinha frita, que se polvilha com açúcar. Um nojo. Só serve para engordar, uma vez que nem gozo dá. Para quem não estava satisfeito com esta badalhoquisse, ainda tiveram a ideia de rechear a aberração com a tal massa vedante de juntas de vibrante tom amarelo. Um horror.
Este é um bolo que eu jamais pediria numa pastelaria. E, no entanto, é tão bom na praia.
Isto para mim é um mistério que só encontra par nas profundezas no oceano, na infinitude do universo, na inesgotabilidade do número de chatos no mundo.
A transposição desta "coisa" para verniz resulta num laranja fofinho, nem muito escuro e nem muito claro que, a par do amarelo, foi o único a precisar de três camadas para evitar zonas com transparência na unha.
Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Bola de Berlim - Cliché (I ♥ Cakes)

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
 Mil Folhas. Sim, gosto. mas lá está, sem a borracha com açúcar e sim com doce de ovos no meio. E as folhas estaladiças, nada daquele livro de alfarrabista velho e cheio de humidade que se vende em pastelarias ranhosas.
O Mil Folhas líquido é lindo, um lilás com muito rosa, que deve funcionar melhor em meninas mais branquinhas ou mais escuras do que eu. Como eu estou ali num meio termo amarelado, não ornou com o meu tom de pele. Não ficou feio, mas perdeu parte do seu potencial para o encanto.
Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Mil Folhas - Cliché (I ♥ Cakes)

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Acabamos esta ronda final de gordisses com um bolo que descobri tarde na vida. Sempre que o via, em criança, nas montras das pastelarias, parecia-me ser um pastel de nata deformado e, por isso nunca se me ocorreu pedir um. Já em velha e gorda é que fui a descobrir o potencial do Bom Bocado. É, sim senhor, um bolinho apetitoso. Quase justifica o embaraço de ter que dizer "oh Sr. Ramiro, dê-me um Bom Bocado" e ver naqueles olhinhos libidinosos de velho empregado de balcão, acostumado a servir mines e integrar conversas de Sport Tv, as maquinações lúbricas de um cérebro que só pensa no que não deve.
O Bom Bocado da Cliché é tão delicioso quanto o bolo em sí. Um roxo forte, com uma grande parte de azul, o famoso blurple. Faz em efeito encantador nas unhas. Em termos de acabamento ele destoa do resto da colecção, uma vez que é jelly. A primeira camada deixa-nos um ranho desigual e estranho nas unhas. A segunda camada deixa a coisa mais composta mas, bizarramente, deixa a ponta das unhas careca. Isto acontece sobejamente com os jellys. Parece que encolhem. A terceira camada deixa tudo impecável, lindo e brilhante.
Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Bom Bocado - Cliché (I ♥ Cakes)

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Agora digam lá que isto não está de comer com os olhos?! A Cliché, para variar, está de parabéns. As cores são lindinhas, a textura e pigmentação de ambas as colecções está bastante boa e a Cliché é uma marca que, a bem ou a mal, sempre se esforça por dar nomes aos bois gósmicos e até se dá ao trabalho de lançar "colecções", ao invés de mandar cá para fora meia dúzia de coisas aleatórias, quando se lhes dá na real gana.
É sempre um gosto quando posso dizer bem de alguma coisa, ainda para mais totalmente feita aqui na santa terrinha. Porque se fossem uma cáca, na mesma o diria, como já o tenho feito no passado.
Tenho fé que a Cliché vá ser a primeira marca low cost a trazer até nós um holográfico decente. Nesse dia tatuarei CLICHÉ numa virilha. Até lá, vou comendo estes bolos, com todo o prazer do mundo.

9 comentários:

Leila Duarte disse...

KKKKKKKKKK morri com essa coleção e com seu texto ... adorei !!!

Luanna Ravanelli disse...

Meu Deus eu amei todas as cores, é bem as que eu costumo usar sempre.
querooo jáa

BeijO :*
Blog Luanna Ravanelli

Anita disse...

lindos!!

http://anitamakingof.blogspot.com.br/

Ju Balbino disse...

Oh Marta, amei essa coleção :)
fiquei com água na boca nas fotos dos bolos (ainda não experimentei nenhum), mas você deixou o melhor dos esmaltes por último, né?
o Bom Bocado é o maiis lindo!^^

bjão

Nação Esmaltada disse...

adorei as cores, super lindas
http://nacaoesmaltada.blogspot.com.br/

Vanessa Silva disse...

Opá conheci o teu blog hoje porque me deu para pesquisar o que se diz por aí sobre os vernizes Yes Love, e fiquei maravilhada! Este blog é tudo o que eu preciso para estar a par das últimas em vernizes! És muito engraçada, adoro a tua forma de falar. A seguir o teu blog! :D

Bejinhos,

Vanessa
Snow White's Glow

Vanessa Silva disse...

Olá olá! Reparei que em todas as fotos com os vernizes Cliché, o verniz aparece impecável. Eu só tenho um verniz desta marca, é um branco, e não consigo evitar que se formem pequenas bolhas que deixam um aspecto horrível na unha. Por muito que me esforce, não consigo esse acabamento perfeito que vejo nas tuas fotos. Cheguei a pensar que fosse da má qualidade dos vernizes da Cliché. Nunca te aconteceu o mesmo que a mim? Como é que se resolve? Desde já obrigada!

Vanessa
Snow White's Glow

Beatlemarta disse...

Olá Vanessa, e sê bem vinda ao meu humilde blog. :D

Olha, essa bolinhas raramente serão um problema do verniz em sí, e mais da aplicação do mesmo.Para começar, una limpinha e eu aconselho até uma borrifadela com limpa-vidros, para retirar toda e qualquer gordura da unha. Truques baratos mas que resultam lindamente.
Depois nada de chacoalhar a gosma antes de usar. Isso cria bolhas de ar que depois dão mau resultado na hora de aplicar.
Camadas finas, que sequem entre elas e jamais aplicar o verniz num quarto muito quente e/ou com corrente de ar.
E há que ver uma coisa, se tiveres um bom topcoat o acabamento é sempre mais brilhante, lisinho e profissional.
Boa sorte e gice Cliché a chance. São gosmas muito mas muito boas, na sua maioria :D

Vick disse...

Olá Marta querida!!!
Amei a segunda parte da coleção!
Estão divinos! Ansiosa para que cheguem aqui na minha humilde lojinha rsrsrsr
Bjo grande e obrigado por nos mostrar essas belezuras.
http://lunamelesmalteria.loja2.com.br