sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

QA 90 - Born Pretty Store

Olá.
Tudo?
Tudo!
Apaixonada confessa que sou pela nobre arte de bem carimbar, verdade é que nunca posto acerca de placas ou carimbos aqui no blog, deixando só um espaço para eles numa aba própria, ou partilhando os pobrezinhos em albuns de Pinterest e Facebooks da vida.
Então o que há de diferente nestas carimbadas de hoje, para que mereçam a página inicial do blog??
Nada.
Mas como recebi a placa da minha parceira Born Pretty, tive que fazer o post acordado.
E, sinceramente, nem doeu nem nada.

A QA90 é uma placa fofézima, bem gravada e que ofereceu resistência zero em todas as estampas que testei.

Já sabem que há que retirar a película azul autocolante que recobre as plaquinhas, para que elas não se risquem pelo caminho.
Depois de retirar a película, a minha sugestão é que dêem uma passagem vigorosa com um algodão com acetona, de modo a retirar qualquer tipo de resíduo que possa estar entranhado nas gravuras, o que iria prejudicar a transferência da imagem.

Limpinha e pronta para a acção.


Já sabem como é a coisa. Passa-se o verniz na estampa, raspa-se o excesso e, com o carimbo, apanha-se a imagem que se quer colocar nas unhas.
E sim, as imagens estão todas bem gravadas, nem muito fundas e nem demasiado superfíciais. Uma maravilha. O que, por duas dolaretas e nove cêntimos, não é para desprezar. E não esquecer que usando o código QLL91, quando forem para fazer o pagamento, ainda vos fica mais barata, já que é um código que vos dá 10% de desconto. O que é que querem mais??
Depois é só esperar que a bicha chegue para que possam abrir as portas da quinta cerebral e deixar o gado-imaginativo correr.


 



Como é óbvio, uma só placa pode resultar em incontáveis resultados finais. Depende da habilidade e imaginação de cada uma.
Como exemplo deixo só estas criações básicas, sabendo de antemão que muitas mais poderei futuramente desenvolver porque, ao contrário de vernizes e de bolos, as placas não decantam, não secam e não apodrecem. São quase tão eternas quanto diamantes, mas custam muito menos a adquirir.
Desconto do Blog

quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Wharf! Wharf! Wharf! (San Francisco Sand Collection) - OPI

Olá.
Tudo?
Tudo!
Aproveitei a maravilha orgásmica que são os SALDOS, para atacar também as Sephoras da vida.
Forreta como assumidamente sou, foi uma sensação agri-doce comprar OPI a 5€.
Se por um lado estavam bem mais baratos que os 14€ do costume, verdade é também que 5 Palhaços ainda me custam a dar por gosma. Principalmente quando Cliché custa 1€ e a qualidade das mais recentes criações anda ela por ela. Mas enfim, mordi a bala e lá trouxe dois ou três, tentando apaziguar o meu lado judeu com a conversa "custam 5€ mas são sand. É normal que pagues mais"...































Da colecção San Francisco, da OPI, acabei por trazer todos menos o It's All San Andreas's Fault, isto porque não gosto de castanhos-cócó.
Aposto que ficaram impressionadas ao ler que trouxe a colecção quanse inteira, mais para mais quando as colecções da OPI costumam ser de 12 macacos de cada vez.
Mas calma. Não fiquei nem louca e nem milionária. Esta colecção de texturizados foi lançada a par dessas comuns, de 12 elementos, mas esta são só três praias líquidas. Além do  It's All San Andreas's Fault há o Alcatraz Rocks, que é uma espécie de obra-prima da gosma texturizada, e este Wharf!Wharf!Wharf!, que já valia a pena ser comprado, nem que fosse só por este nome épico, claro trocadilho feito com a mistura de um cão a ladrar e os cais, pelos quais São Francisco é conhecido.
É um azul royal absolutamente lindo e perfeito. Duas camadas finas, fáceis de aplicar, secagem vapt-vupt e um efeito texturizado magnífico, delicado, encantador.
E, milagre dos milagres, quando o doce bafo da acetona o atinge para que seja afastado dos nossos dedos, nada de cutículas azuis, para contar a história. Ele limpa-se com extrema facilidade, o que só me fez amá-lo ainda mais.
Pronto, lá justifiquei mentalmente os 5 sofridos euros que gastei com ele.

quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

Ursula - Dany Vianna Esmaltes Artesanais

Olá.
Tudo?
Tudo!
Não sei se já vos disse mais de mil vezes mas eu sou grande fã das gosminhas da Dany Vianna.
Não sei que magia estranha é esta que ela faz, mas os bebés, embora fofos, quando saem do frasco e saltam para as unhas, ficam umas duzentas e setenta e seis vezes mais amorosos do que estaríamos à espera! De todas as vezes que usei um Dany Vianna isto aconteceu. Já ía animada para fazer a coisa só de ver os brilhinhos atrás daquela parede de vidro, mas assim que os doces pêlos do pincel se me depositaram os primeiros fragmentos de acrílico resistente aos solventes nas unhas, uiiiiiiiiii..... deu-se o amor eterno!

























Agora preparem.se que vou fazer uma confissão que vos deixará estupefactas, senão mesmo até mesmo incrédulas e transtornadas: eu nunca vi a Pequena Sereia!
Ohhhhhhhhhhhhh - clamam vocês - como é possivel????? Terás tu vivido em Marte todo este tempo?
Talvez sim, talvez não, deixo isso no ar. Ajuda à mística.
No entanto LI a Pequena Sereia!
Ohhhhhhhhhhhh - clamam novamente - confirma-se! A gaja é um alien!
....
Agora que já se acalmaram um bocadinho, indagam-se vocês neste momento: mas que raio tem isso a ver com seja o que seja?
Simples.
Aparentemente, este Ursula é baseado naquele polvo à lagareiro gigante que serve de vilã na dita animação Disney, e faz parte de uma colecção com o mesmo nome, da Dany Vianna.
E será por isso então que se trata de glitter em vários tamanhos e formas, todos eles pertencentes à família Ruxus Coloratus, vulgo "roxo". (sim, esta nomenclatura em latim é puramente ficcionada e só serve para aumentar um eventual prestígio da minha publicação).
Estas pedacinhos brilhussos chegam até nós a nadar numa gosma transparente, o que faz com que possamos fazer com eles as combinações que nos dêem na real gana. E, ainda por cima, espalham-se tranquilamente e em abundância pela unha, sendo que aqui se apresentam a V. Exas numa única camada sobre um lilás básico.
Apenas perfeito.
Para mais informações acerca destas gosmas divinas, acessem: https://www.facebook.com/bydanyvianna?fref=ts

terça-feira, 16 de Setembro de 2014

Pier - Impala

Olá.
Tudo?
Tudo!
Desenterrei esta gosma, como se de um fóssil de trilobita se tratasse, e foi com grandes golfadas de nostalgia que a apliquei nas unhas.
O Pier, da Impala, faz parte da colecção Acqua, dos idos de 2009, e é do tempo em que um cinzento claro era uma cor ousada (pausa para rir e para limpar as lágrimas) e rara (uii, que barrigada de risota!), e eu desejei muito isto até finalmente o ter.



















Tanto esperei, tanto babei e me arranhei toda que, quando ele finalmente chegou, ficou ali na caixa uns três anos, porque entretanto já se tinha tornado uma cor banal.
Bom, mesmo sendo banal, a verdade é que este menino é uma fofura. Um cinza clarinho, com um toque perolado que desaparece nas unhas e com um cheirinho muito suave a azul, que lembra um céu chuvoso de princípios de Inverno.
Eu gosto. Gosto de dias assim e gosto dessas gosmas  também.
Ao contrário do que eu temía, ele nem precisou das vinte e sete camadas a que a Impala antiga nos habituou. E embora ele já estivesse mais fora de prazo do que um iogurte renascentista, a verdade é que foi uma maravilha de aplicar. Ah bons velhos tempos em que a Impala era inovadora. Hoje em dia até se me dá vontade de rir imaginar tal coisa.

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Pistachio (656) - Kiko Cupcakes

Olá.
Tudo?
Tudo!
Para que não pensem que, depois dos Clichés terem lançado os seus gloriosos sprinkles, eu perdi todo o amor que tinha aos Cupcakes da Kiko, eis que vos trago um destes granuladinhos originais.
Foi com a Kiko que o meu amor por estes boloretudos começou, e isso é coisa que não se esquece.
Quando eles apareceram custavam 4.90€ cada um! Auch! E por isso, por mais que os tenha achado maravilhosos e tal e tal, só comprei um na altura.
Qual escolher? Oh dilema, oh inquietação...
Acabou por ser o Pistachio, porque achei o verde amarelado amorosissímo e porque as bolinhas laranja e verde-escuras me encheram o coração de doçura.
 






























E não há muito mais a dizer sobre isto que as imagens já não exprimam.
Um acabamento delicado, ao contrário do que sugeríam aquelas primeiras imagens super grosseiras que começámos a ver pelas internets da vida.
São duas camadas finas, que se aplicam com cuidado e com amor, para que não fique uns sapatinhos da Máfia, só que nas unhas. Aqui não se procura o cimento-look, por isso sejam meigas na quantidade que aplicam.
Uma passagem com a lixa na ponta das unhas após total secagem, limpa aquelas arestas irregulares que ficam e que deixam o bicho feio e desgrenhado. Há que alinhar o menino, para que se apresente garboso às pessoas.
E é isso.
Deixar secar bem, não lhe enfiar com topcoats em cima porque isto é coisa que se quer selvagem, arranhadiça, nada de meninos espelhados e bem comportadinhos.
P.S.: assim que entraram em saldos, pumba com todos para o carrinho de compras.
Não, brincas!